All About     Blogosfera     Conversas à mesa     De fones     Faculdade     Opinião      Pé na Estrada     +

Uma vitória nossa


Andei a dizer aos sete mundos que ontem ia ter oral de uma disciplina que me deixava aterrorizada, sem confiança nenhuma. Na verdade, não era a disciplina, mas sim a pessoa que dava a cara por ela. Que a tornava o cadeirão inconcebível para a inteligência humana. Naturalmente que não era uma pessoa que gostava muito de mim, e ainda hoje gostava muito de saber o porquê. Mas a verdade é que a faculdade é assim e não há nada que possamos fazer quando um professor não acha a nossa cara bonita, a não ser aguentar os sucessivos chumbos - chumbou-me em frequência e em exame. Estão a ver a sorte?

Mas, além destas circunstâncias que não são as melhores, o facto de ir a oral andava-me a tirar horas de sono. Como em tudo, as pessoas têm sempre uma opinião a dar, mas nunca era a melhor opinião. Faziam da oral um bicho de sete cabeças e isso preocupava-me muito. Claro que também tive a sorte de ouvir conselhos excelentes do Rafael, que na hora foram fundamentais para poder aguentar aquela pressão de momento, em que parece que tudo o que estudámos foi insuficiente. E, claro, quem é que me fez a oral? Pois, ela! E querem saber mais? Com todas as questões acessíveis para se poder passar uma pessoa, foi a questão mais horrorosa que me podia fazer. Por momentos, o meu cérebro teve de rever imediatamente os três livros enfadonhos que li, mas deu-me um gozo especial conseguir responder-lhe à altura e ter a maior capacidade de improviso. 

Como é óbvio, quando acabei a oral estava em pânico. Achava que me tinha corrido super mal e que as minhas três semanas de estudo não tinham valido de nada. O Rafael, que nada percebe de Direito Internacional Público, ia-me dizendo que tinha respondido muito sem pensar e que isso o estava a preocupar. A mim também! Mas foi bom quando vi colegas meus a dizerem que me tinha corrido super bem e que achavam mesmo que estava numa oral de melhoria, porque aquelas questões já eram de um nível superior. E que orgulho quando ouvi que tinha passado!

Esta é uma vitória que não é só minha, é minha e do Rafael, principalmente. Ele que perdeu tardes a fazer-me questões, a dar-me conselhos e a força essencial que precisava. Ele que teve uma tarde inteira numa faculdade, que não é a sua, só para me apoiar. Mas além dele, a minha família foi essencial, é tão bom quando confiam em nós, mesmo quando nós não confiamos, não é? Mas, pela primeira vez, também tive ajuda de muitos de vocês aqui na blogosfera e não há maior carinho como o vosso. Obrigada por me terem acolhido tão bem aqui, estou grata!

Um grande obrigada, do coração! 

12 comentários :

  1. Conheço demasiado bem esse nervosinho pré-oral. Mas também reconheço a adrenalina e paz interior simultâneas que se experienciam depois de tudo acabar e termos finalmente passado à cadeira impossível.

    Parabéns Sara! Tenho a certeza que exigiu imenso de ti e, como viste, estiveste à altura. :)

    ResponderEliminar
  2. Há imensas coisas que nos tiram o sono, pelos piores motivos! parabéns pela vitoria conseguida! sei que foi merecida! :)

    ResponderEliminar
  3. Muitos parabéns Sara, tu mereces :)
    Beijinhos*
    http://belezacemlimites.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  4. Mereceste! E não entendo essa prof, já parece alguns daqui, parece que fazem tudo para chumbarem nas orais...
    R: Andas na Clássica, certo? Por acaso, quando andava na minha busca de faculdades, achei a Clássica do mesmo nível de Coimbra, sem dúvida...Aqui é : cada prof decide se é por frequência ou por exame, eu este semestre tive 2 frequências e 3 exames, mas por exemplo, a turma do segundo ano da primeira turma já teve 5 exames. Ou a segunda turma do meu ano, teve 3 frequências e 2 exames. Professores diferentes entre turmas, até matéria diferente em algumas, é um pouco injusto, mas pronto. Porque é que aí só se passa com 12? Qual é a justificação? Olha, aqui temos as notas barreira:a escala vai até ao 16 na escrita, em alguns profs vai ao 14/15. No máximo pode ir a 17, mas só ocorre na oral e/ou em profs que deixem, o que é raro.

    ResponderEliminar
  5. Que fantástica notícia! Deves estar super aliviada!

    ResponderEliminar
  6. Que bom! Parabéns por essa vitória:) Tenho a certeza que deste o teu melhor e só isso já vale a pena. É sempre bom ter alguém ao nosso lado que nos apoie.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  7. Muitos parabéns :)
    R. Sim sou de Torres Vedras. Não da cidade em si, mas do concelho

    ResponderEliminar
  8. Parabéns :)
    Há cadeiras que dão muita luta mas também são muito gozo depois.
    Um mega beijinho

    ResponderEliminar
  9. Muitos Parabéns Sara :) Com esforço e dedicação conseguimos alcançar os nossos objetivos

    ResponderEliminar
  10. Uau, muitos Parabéns! Esta é a prova que com esforço e dedicação conseguimos tudo! E com apoio é sempre melhor. Eu também consegui fazer o cadeirão do curso e estou super feliz!

    Um beijinho,
    http://secretsofablondie.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  11. Muitos parabens :) eu tambem estou em direito e entendo-te perfeitamente estou no 3 ano e nao ha meio de passar a DIPublico a mim tambem é uma professora e ela nem nota me dá para ir a oral de passagem. Mas pronto um dia hei-de conseguir passar.
    Gostei muito e desculpa pela invasao mas como me identifiquei com o post tive de comentar.
    Muitos beijinhos

    ResponderEliminar

Qualquer comentário nocivo, relativamente ao conteúdo do blogue ou à integridade dos meus leitores, será eliminado por mim. No que toca a eventuais perguntas estas serão respondidas aqui. Obrigada :)